Esposa de pastor é condenada a cinco anos de prisão por realizar estudos bíblicos, no Irã

Shamiram Isavi Khabizeh é esposa de um pastor que também foi condenado a prisão por liderar igrejas domésticas e ambos estão recorrendo destas decisões.

Shamiram Isavi Khabizeh é esposa de um pastor que também foi condenado a 10 anos de prisão por evangelizar, no Irã. (Foto: Guiame - Edição)
Shamiram Isavi Khabizeh é esposa de um pastor que também foi condenado a 10 anos de prisão por evangelizar, no Irã. (Foto: Guiame – Edição)

A esposa de um pastor condenado a dez anos de prisão também recebeu neste mês de janeiro uma sentença de cinco anos de prisão, no Irã.

Shamiram Isavi Khabizeh, esposa de Victor Bet-Tamraz, foi condenada por “agir contra a segurança nacional e contra o regime”, organizando pequenos grupos e participar de um seminário no exterior e treinando líderes e pastores da igreja “para atuar como espiões”. As informações foram confirmada pelo grupo cristão de defesa da Igreja Perseguida ‘Middle East Concern’, conforme relatado pelo site ‘World Watch Monitor’.

Ela apelará contra a sentença, que foi dada em um tribunal revolucionário em Teerã, a capital iraniana, no dia 6 de janeiro.

Khabize foi detida pela primeira vez em junho do ano passado e liberada sob fiança, depois de pagar o equivalente a US$ 30.000.

Seu marido, que foi condenado em julho do ano passado por “agir contra a segurança nacional”, organizando e dirigindo igrejas domésticas, está aguardando o resultado de seu próprio recurso.

O filho do casal, Ramil, também está enfrentando acusações – de “agir contra a segurança nacional” e “organizar e criar igrejas domésticas”, bem como acusações relativas ao ministério de seu pai.

No ano passado, mais de uma dúzia de cristãos iranianos – a maioria deles recém-convertidos ao cristianismo – receberam sentenças de prisão entre 10 e 15 anos por “agir contra a segurança nacional”.

Dois deles, Amin Afshar-Naderi e Hadi Asgari, deveriam ouvir o resultado de seus próprios apelos em 27 de dezembro, mas as audiências foram simplesmente adiadas.

Afshar-Naderi foi liberado sob fiança no ano passado depois de escrever uma carta aberta às autoridades, perguntando: “o que eu fiz para vocês me odiarem tanto?”..

O Irã ocupa o 10º na recém-lançada lista da Missão Portas Abertas para 2018, que classifica os 50 países com maior índice de intolerância religiosa.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOD REPORTS

Sobre o autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: