Perseguição religiosa deixa mais de 5 milhões de cristãos sem acesso à igreja, no Paquistão

O número de cristãos sem acesso a discipulado e estudo bíblico é extremamente alto.

A perseguição religiosa se estende aos filhos dos cristãos que não podem ir à escola e nem mesmo brincar nas praças. (Foto: Reprodução).
A perseguição religiosa se estende aos filhos dos cristãos que não podem ir à escola e nem mesmo brincar nas praças. (Foto: Reprodução).

Cerca de 5 milhões de cristãos não se congregam ou não estão em comunhão com outros crentes em Jesus, no Paquistão por conta da perseguição. Um deles é Shahzad, que não sabe ler e por isso não sabe o que a Bíblia diz. O homem é discriminado pelo fato de cristão.

Nascido em família cristã, Shahzad padece já por seu próprio nome que significa “filho do Rei”. Por conta disso, muitas ofertas de trabalho lhe foram negadas e já teve muitos pagamentos não recebidos quando descobriam sua religião.

Shahzad é um dos muitos que não têm acesso à igreja ou comunhão do corpo de Cristo. Em seu caso, ele recebe a visita de seu pastor de vez em quando para orar com ele, mas raramente há algum estudo bíblico. No vilarejo onde ele mora, há aproximadamente outros 300 cristãos na mesma condição.

Esses cristãos trabalham em fazendas ou em construção, recebem um salário muito baixo, chegando a um dólar por dia. “Aqui você enfrenta problemas de segurança, injustiça e dívidas regularmente e luta para manter a lenha para o fogão em casa para que sua família possa ter uma refeição por dia. Em alguns dias só há o suficiente para uma criança comer”, relata Shahzad.

Essa perseguição não fica somente nele, mas se estende aos filhos também: “Eles não podem ir à escola e nem mesmo brincar no playground por ser cristãos”.

Segundo informações de um pesquisador da ALIVE, organização parceira da Portas Abertas: “Para uma pessoa como Shahzad, a escola cristã mais próxima é em uma cidade a cerca de 30 KM de onde mora. Então ele não tem outra opção a não ser baixar a cabeça e trabalhar por um futuro para sua família”.

Oficialmente, há a estimativa de que os cristãos “com igreja” sejam em torno de 3,9 milhões. Mas pesquisadores da ALIVE, acreditam que haja mais de 5 milhões de “cristãos sem igreja”. Sabe-se que o número de cristãos sem acesso a discipulado e estudo bíblico é extremamente alto.

As investidas dos muçulmanos extremistas não param. Eles oferecem uma falsa esperança aos crentes em Jesus. Fazem promessas de uma vida melhor aos cristãos que se convertem ao islamismo. A razão pela qual a maioria dos “cristãos sem igreja” não se converte ao islã é porque eles têm apenas uma certeza na vida: de que não são muçulmanos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PORTAS ABERTAS

Sobre o autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: