UM MEMORIAL QUE FALA HOJE

Texto: Js. 4:1-24

 O pastor e escritor Martyn Lloyd-Jones certa vez disse: “um dos efeitos mais devastadores do pecado é a forma como ele paralisa a nossa mente e até mesmo a nossa memória”.

O texto nos diz que os filhos de Israel fizeram dois montes de pedras um em Gilgal e outro no leito do rio. As pedras colocadas em Gilgal foram carregadas pelos doze homens nomeados anteriormente, cada um proveniente de uma das tribos (Js 3:12). Quando esses homens chegaram ao meio do rio, cada um pegou uma pedra grande e carregou-a quase treze quilômetros até Gilgal, onde a nação acampou naquela noite. Gilgal ficava cerca de três quilômetros de Jericó e, exceto pela Transjordânia, foi o primeiro território em Canaã do qual o povo de Israel tomou posse como herança. Posteriormente, Gilgal tornou-se um importante centro de Israel, local onde a nação coroou seu primeiro rei (1 Sm 11) e onde Davi foi recebido de volta depois que a rebelião de Absalão foi contida (2 Sm 19),  além de ser um lugar considerado importante por Samuel a ponto de incluir a cidade em seu “circuito ministerial” (1 Sm 7:16). Havia uma “escola de profetas” em Gilgal no tempo de Elias e Eliseu (2 Rs 2:1, 2; 4:38). Foi uma cidade de destaque para Josué, pois se tornou’ seu acampamento e centro de operações (Js 9:6; 10:6, 15, 43; 14:6).

Esses dois montes de pedras foram os primeiros de vários monumentos que os israelitas ergueram na terra. Esse memorial continua ensinando ao povo de Deus:

1)QUE DEUS HONRA A FÉ DO SEU POVO

O povo de Israel ergueu dois montes de pedras como memoriais da travessia do rio Jordao: doze pedras em Gilgal (vv. 1-8, 10-24) e doze pedras no meio do rio (v. 9). Esses monumentos eram testemunhas de que Deus honra a fé e opera em favor daqueles que confiam nele.

Essas doze pedras empilhadas eram uma lembrança daquilo que Deus havia feito por seu povo. Os israelitas acreditavam na importância de ensinar a geração seguinte sobre Jeová e seu relacionamento especial com o povo de Israel (Js 4:6, 21; Êx 12:26; 1 3 :1 4 ; Dt 6 :2 0 ; ver Sl 3 4 :1 1 -1 6 ; 7 1 :1 7 ,18; 78:1-7; 79:13; 89:1; 102:18).

 Para um incrédulo, doze pedras empilhadas não passavam de um monte de pedras, mas para um israelita que cria em Deus, era uma lembrança constante de que Jeová era seu Deus, operando maravilhas em favor de seu povo.

Note, porém, que Josué coloca sobre os israelitas a obrigação de temer ao Senhor e de dar testemunho dele para o mundo todo (Js 4:24). O Deus que pode abrir o rio é o Deus a quem todos devem temer, amar e obedecer! Israel precisava contar às nações sobre ele e convidá-las a crer nele também.

Infelizmente, com o passar do tempo, esse memorial em Gilgal foi perdendo o significado espiritual e tornou-se um santuário onde os israelitas pecavam contra Deus ao adorar ali. O profeta Oséias condenou o povo por adorar em Gilgal em vez de Jerusalém (Os 4:15; 9:15; 12:11), e suas advertências foram repetidas por Amós (Am 4 :4; 5:5). Se não ensinarmos às próximas gerações a verdade sobre o Senhor, ela se afastará dele e começará a seguir o mundo.

Como homens nós somos tentes as nos esquecer dos milagres realizados por Deus. Sim de esquecermos até as coisas maiores e maravilhosas. Isso é verdade em todas as esferas da vida.

Com que rapidez grandes homens são esquecidos? Homens que em sua época dominaram a cena, muitas vezes não significam nada para gerações subseqüentes.

Isto é verdade, não só com respeito a grandes homens como também a eventos onde podemos contemplar o agir de Deus.

Alguns eventos Extraordinários da história são tão facilmente esquecidos

O Dia 11 de Setembro de 2002 o que foi que aconteceu nos EUA? São poucos hoje que se lembram daquele triste dia.

Israel não podia esquecer do significado, do ensino daquelas pedras, pois elas nos ensinam que Deus honra a fé dos seus eleitos.

2º) QUE DEUS CUMPRE AS SUAS PROMESSAS

Josué nos diz: estas pedras, estão aqui como um memorial de algo tremendo que Deus fez no passado. História não é teoria, são fatos, não ideias.

O Deus de Israel preocupa-se com seu povo, cumpre suas promessas, vai adiante dele em vitória e nunca falha. Um testemunho e tanto para dar ao mundo!

Estas pedras nos falam dos gloriosos fatos operados por Deus.

O que significam estas pedras? Fatos! O povo de Deus atravessando O rio Jordão de forma tremenda. Fatos o Povo Atravessando o mar vermelho.

Estas pedras nos ensina que Deus cumpre as suas promessas, ele é fiel e zela pela sua palavra, é ele quem nos dá a vitória e vai adiante do seu povo para enfrentarmos as nossas batalhas. Assim nós podemos confiar nas sagradas escrituras, como alguém disse: “A BÍBLIA É O REGISTRO DAS ATIVIDADES DE DEUS, DAS MANIFESTAÇÕES DE DEUS, DOS PODEROSOS ATOS DE DEUS”

Vou me colocar de lado e ver o que o Senhor fez? Mas nós precisamos olhar para a Bíblia. Está tudo aqui, só que nós passamos muitas vezes sem perceber, por isso precisamos de memoriais que chamem a nossa atenção. Podemos contemplar isto em muitos lugares na Bíblia

I Sm 7:12 Ebenézer: até aqui nos ajudou o Senhor..,

 A CEIA DO SENHOR DO SENHOR – è um memorial da morte e ressurreição do Filho de Deus.

Algo maravilhoso aconteceu em 1859 nos E.U.A. Inglaterra , algo que impactou aqueles países, e nós muitas vezes não olhamos, pois o que ali acontecera foi Deus cumprindo a sua palavra como ele mesmo nos em ensina nas santas escrituras. Quando olhamos para aquela época podemos ver o homem com fome e sede da presença de Deus e sendo impactados pelo poder do Espírito Santo e “QUANDO O ESPÍRITO SANTO É RESPONSÁVEL PELA ORGANIZAÇÃO, O TEMPO, O CORPO E AS NECESSIDADES DA CARNE SÃO ESQUECIDOS”.

 3º)QUE NADA É IMPOSSíVEL PARA DEUS

Warren Wiersbe nos ensina que o monumento em Gilgal lembrava os israelitas de que Deus havia aberto o rio Jordão, conduzindo-os em segurança à Terra Prometida. O povo havia rompido com o passado e não deveria, jamais, pensar em voltar. O monumento no fundo do rio lembrava o povo de que sua vida antiga havia sido sepultada e de que, daquele momento em diante, deveriam andar em “novidade de vida” (Rm 6:1-4).

Assim, sempre que uma criança israelita passasse pelas doze pedras em Gilgal, os pais lhe explicariam o milagre da travessia do rio. Diriam também: “Há outro monumento no meio do rio, onde os sacerdotes ficaram com a arca. Não dá para vê-lo, mas está lá. Ele nos lembra de que nossa vida antiga foi sepultada e de que agora devemos viver uma nova vida em obediência ao Senhor”. As crianças teriam de aceitar o fato pela fé e, se acreditassem, isso faria uma grande diferença em seu relacionamento com Deus e com a vontade dele para a vida delas.

Esses dois montes de pedras foram os primeiros de vários monumentos que os israelitas ergueram na terra. Não há nada de errado em erguer memoriais, desde que não se tornem ídolos que afastam nosso coração de Deus e que não nos amarrem ao passado de tal forma que deixemos de servir a Deus no presente.

A lembrança do passado é uma excelente forma de petrificar o presente e de ensinar a igreja de sobre o poder de Deus. As gerações seguintes precisam de  lembranças daquilo que Deus fez na história, mas essas lembranças também devem fortalecer sua fé e aproximá-lo do Senhor.

Deus nos faz sair da escravidão para nos conduzir à Terra Prometida (Dt 6:23) e nos faz entrar nessa terra para que possamos vencer e nos apropriar de nossa herança em Cristo Jesus. Pelo fato de o povo de Deus ser identificado com Cristo em sua morte, sepultamento e ressurreição (Rm 6; Gl 2:20), os cristãos têm o “poder de vencer”, não precisam ser derrotados pelo mundo (Gl 6:14), pela carne (Gl 5:24) ou pelo diabo (Jo 12:31). Somos vencedores em Jesus Cristo (1 Jo 5:3).

Se deseja apropriar-se de sua herança espiritual em Cristo, creia na Palavra da fé e molhe os pésl Dê um passo na jornada de fé, e Deus abrirá caminho para você. Entregue- se ao Senhor, morra para sua vida do passado (Rm 6), e Deus o conduzirá à terra e lhe dará “os dias do céu acima da terra” (Dt 11:21).

Os israelitas encontravam-se na terra, mas ainda não estavam prontos para confrontar o inimigo. Era preciso que Josué e o povo fizessem alguns preparativos espirituais.

Este fato nos fala que Deus pode operar o sobrenatural Nos fala que para Deus nada é impossível.

Que o mesmo Deus que abriu o mar vermelho pode curar, fazer caminhos onde nós não pensamos, etc.

Portanto, nós precisamos confiar em suas promessas, e descansar em Deus, mesmo que não vejamos nada certos de que Deus se preocupa com a sua igreja hoje e nos concede livramentos mesmo diante dos desafios mais difíceis da caminhada.

 Autor: Pr. Eli Vieira

Sobre o autor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: